21 de julho de 2020 às 07:09

Entrega da Bola de Ouro ao melhor do mundo de 2020 é cancelada, por conta da pandemia


Crédito:Google

Não haverá um melhor jogador do mundo, em 2020.  Pelo menos a tradicional revista France Football cancelou a premiação, algo inédito em 64 anos de história.

 A Bola de Ouro, de tão importante, foi por um tempo unificada com a eleição da Fifa.  Hoje, são dois prêmios separados, cada um com seus critérios.  E a entidade máxima do futebol diz que, por enquanto, a premiação dela está mantida.

 Os organizadores da Bola de Ouro explicam que a pausa no calendário e as mudanças nas regras, como o limite de substituições, por exemplo, mexem com a credibilidade e a legitimidade da eleição.

 A France Football também citou a realização de jogos sem torcida e as diferenças na preparação de cada atleta, quando o futebol foi retomado, como fatores que interferem no desempenho de cada um.

 E disse, ainda, que não queria colocar um asterisco no nome do vencedor de 2020; que qualquer resultado seria injusto; e que a Bola de Ouro não é apenas uma premiação técnica, mas também promove valores como solidariedade e responsabilidade.

Sem esquecer que a França foi um dos primeiros meses, ainda no mês de abril, a ter o campeonato nacional dado como encerrado, sem a retomada dos jogos, para evitar a transmissão do coronavírus.
O título ficou com o Paris Saint-German, de Neymar, que estava na liderança, quando o torneio foi paralisado.  Aliás, o coronavírus pode ter estragado o sonho do craque brasileiro.  É claro que a Liga dos Campeões da Europa, que só será retomada em agosto, tem um peso grande na eleição do melhor do mundo.  Porém, quando a pandemia foi decretada, Neymar estava, sim, entre os cotados ao prêmio.

 Agora, ele terá menos oportunidades para mostrar serviço que concorrentes que atuam em outros países. E resta saber como será o desempenho do camisa 10 da Seleção depois de tanto tempo, em jogos maiores.

 Como as finais da Copa da França e da Liga Francesa, que acontecem ainda neste mês.

 De Bruyne e Lewandowski, por exemplo, também aparecem na lista daqueles que podem disputar o título de melhor do mundo, caso a Fifa mantenha mesmo a premiação, com Messi e Cristiano Ronaldo.

 Por fim, ainda sobre a Bola de Ouro, vale lembrar que o argentino é o maior vencedor, com seis prêmios, inclusive o do ano passado.

 O português vem em segundo, com cinco conquistas.

 E depois, empatados, aparecem Platini, Van Basten e Cruijff, com três bolas de ouro cada um.

 

Fonte: Agência Rádio 2

comentários

Estúdio Ao Vivo