19 de agosto de 2020 às 11:23

Megaoperação da Polícia Civil encontra cemitério clandestino do tráfico e local de desmanche de carros


Crédito:Reprodução

Uma megaoperação da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e Maricá (DHNSGI) localizou, na manhã desta quarta-feira, um cemitério clandestino usado pela maior facção criminosa do Estado do Rio e que estaria localizado em Itaoca, em São Gonçalo, na Região Metropolitana. De acordo com as investigações, existem pelo menos 42 covas no local, que seria utilizado para enterrar inimigos e moradores que se opõem a traficantes da região e de todo o Complexo do Salgueiro. Um agente foi ferido na ação.

A ordem para a criação do cemitério clandestino teria partido do traficante Antônio Ilário Ferreira, o Rabicó, chefe do tráfico de drogas do Complexo do Salgueiro, que está foragido da Justiça. O local usado pelos criminosos funciona no antigo Aterro Sanitário de Itaoca, conhecido como “Lixão de Itaoca”. O espaço foi desativado oficialmente em 2012.

Utilizando técnicas da milícia – que mata e oculta os cadáveres das vítimas – traficantes da região decidiram que não deixariam rastros de seus homicídios. A Polícia Civil descobriu a prática criminosa há pouco mais de um mês, durante um desdobramento da investigação de um homicídio pela DHNSGI. A operação também conta com um informante, que está apontando a localização dos corpos enterrados.

Os policiais da Core foram recebidos a tiros no Complexo do Salgueiro. Por volta de 6h30, um dos agentes foi atingido de raspão na cabeça, socorrido por colegas e levado para o Hospital estadual Alberto Torres, no Colubandê. O policial já recebeu alta.

Cerca de 200 policiais - entre eles agentes da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), a tropa de elite da Polícia Civil - com a ajuda de cães farejadores e de militares do Corpo de Bombeiros participam da operação desta quarta-feira. Por ser uma região tomada por criminosos, a Polícia Civil utiliza três blindados. Uma retroescavadeira também está sendo usada. Foi preciso pedir o apoio do helicóptero blindado da corporação para os policiais que estavam em terra escavando o cemitério.
Os policiais investigavam a queda do número de homicídios nos últimos anos em Itaoca, causada pela subnotificação desses crimes. Muitos casos estavam entrando nos registros da Polícia Civil como desaparecimentos. Segundo a Polícia, traficante Rabicó, mesmo quando estava preso numa penitenciária federal, mandava que seus subordinados desaparecessem com os corpos das vítimas, o que vem ocorrendo há pelo menos três anos. Dados da especializada apontam que desde 2017 foram registrados sete homicídios: quatro em 2017 e três em 2019. Nesses dados não são contabilizadas as mortes em decorrência de intervenção policial.

Segundo a Polícia Civil, a ordem dos assassinatos e o sumiço dos corpos vinham de Ricardo Severo, o Faustão; Rayane Nazareth Cardozo da Silveira, a Hello Kitty; Alessandro Luiz Vieira Moura, o Vinte Anos; e John Lennon Correa, o John John ou Skeik. Todos esses criminosos têm mandados de prisão em aberto e estão foragidos da Justiça.

Por medo de outros parentes serem assassinados, de acordo com a DH, as famílias das pessoas mortas nunca registram os crimes.

Na região, os investigadores também encontraram um cemitério de carros abandonados.

 

Fonte: Extra

comentários

Estúdio Ao Vivo