Macaé: Feiras de ciências movimentam escolas municipais

As feiras de ciências estão movimentando as escolas municipais, com apresentações remotas e presenciais. A programação envolve estudantes em pesquisas e trabalhos diversificados, sugeridos pelos professores. A realização é conforme calendário elaborado pelos dirigentes municipais. Entre os espaços escolares que já realizaram os eventos estão a Escola Municipal Letícia Peçanha Aguiar (Centro) e a Escola Municipal de Educação Infantil Marlene Diniz Caldas (Piracema), que contou com as crianças em apresentações diversas. Com exibição nas redes sociais dos espaços escolares, as feiras envolvem toda comunidade escolar.

A finalidade da rede municipal é inserir nos alunos o interesse pelas ciências, despertar potencialidades e desenvolver competências e habilidades necessárias à inovação e a pesquisa. As escolas que seguem com a programação interna também terão a oportunidade de escolher os melhores trabalhos para serem julgados por representantes da 15ª edição online da Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Rio de Janeiro (FECTI), que segue com inscrições abertas até o dia 4 de outubro, na plataforma SisFECTI.

Podem se cadastrar as seguintes modalidades; projeto já desenvolvido, com resultados; projeto iniciado, não finalizado, com resultados parciais; e projeto/proposta de pesquisa, sem resultados. Nesta modalidade, não poderão se inscrever estudantes concluintes do Ensino Médio ou Técnico ou do 9º Ano do Ensino Fundamental II.

Os estudantes do 6º ao 9º ano podem inscrever, gratuitamente, seus projetos nas categorias de Ciências no Ensino Fundamental II. Os estudantes do Ensino Médio e técnico, nas categorias Ciências Biológicas e da Saúde, Ciências Exatas e da Terra, e Desenvolvimento de Tecnologia ou Interdisciplinar (para projetos de Arte e Ciência, Ciência e Sociedade, Ciência e Esporte, Educação e Ensino de Ciências, e História da Ciência).

Para cada escola ou professor somente será permitida a inscrição de até quatro projetos, desenvolvidos individualmente ou em grupo de até três alunos, sob a orientação de um professor da escola e com a participação, opcional, de um coorientador maior de 18 anos.

Os projetos submetidos serão avaliados pelo comitê científico, formado por professores e pesquisadores ligados a instituições de ensino e pesquisa e museus de ciência. Os projetos finalistas das modalidades 1 e 2 serão publicados nos Anais da XV FECTI, em meio digital.

Comentários