Macaé: Projeto Robótica Espacial ganha reforço de impressoras 3D

Com o objetivo de reforçar as atividades do projeto de Robótica Espacial, as unidades municipais Zelita Rocha de Azevedo (Parque Aeroporto) e Polivalente Anísio Teixeira (Costa do Sol) receberam neste sábado (30) impressoras 3 D. A entrega, uma parceria com a empresa Creality, aconteceu na sede do Zelita Rocha com todos os protocolos sanitários. A proposta é impulsionar as atividades do mundo maker.
As participantes de Macaé fazem parte de um grupo de 250 escolas no país selecionadas para fazer parte do projeto, que é uma iniciativa pedagógica da Universidade de Brasília ( UnB) e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação ( FNDE), com apoio técnico da Agência Espacial Brasileira. A Escola Municipal Nilton Balthazar, de Rio das Ostras, também ganhou impressora, neste sábado. A previsão é que as escolas Municipais Eda Moreira Daflon (Centro) e Paulo Freire (Lagomar) ganhem, em breve, impressoras 3D.

Os alunos participantes se envolvem em um curso totalmente digital, de autoaprendizagem, com uso de uma plataforma pedagógica, que oferece aos estudantes conhecimentos teóricos e práticos sobre robótica. A plataforma usa simuladores para que os alunos vivenciem, de forma bem realista, a criação e a montagem de um robô Rover Vehicle, inspirado no projeto Artemis, liderado pela Nasa, do qual o Brasil faz parte, por meio da Agência Espacial Brasileira.

Durante o curso, os estudantes passam por reforços didáticos, resumos simplificados, dicas práticas, testes e avaliação progressiva. Durante as aulas são combinados teoria e prática, simulam o uso de multímetros, ferramentas mecânicas, motores, microcontroladores, protoboards, leds, sistemas elétricos e módulos bluetooth. “Gostei muito de aprender e agora terei como aplicar meus conhecimentos com a impressora 3D”, destacou o estudante do 7º ano do Polivalente, Davi Ferreira Leal, 13 anos.

A coordenadora do Programa InovareAprender, a designer educacional, Luemy Ávila, destacou que os alunos terão oportunidade de conhecer a manufatura aditiva (impressora 3D) como possibilidade de criar soluções para sua escola, bairro, meio ambiente, saúde e outras áreas. “A ideia é impulsionar a cultura maker na educação”, frisou.

O presidente da BeByte, Alex Roger Wytt, que é ex-aluno do Zelita Rocha, afirmou que a parceria entre a empresa e a fabricante da impressora 3D, a Creality, fomenta a inovação. “Antecipamos a entrega nessas duas unidades em Macaé. É muito importante que cada região do país tenha essa oportunidade de colocar em prática os conhecimentos adquiridos com a capacitação”, acrescentou.

Para a diretora da Escola Municipal Zelita Rocha de Azevedo, Thaissa de Souza Santos, a iniciativa é fundamental. “O curso e a impressora 3D são uma importante ferramenta para incentivar os alunos nessa cultura da inovação”, disse Thaissa acrescentando que a ideia é trabalhar em parceria com o programa InovareAprender da prefeitura para desenvolver ações de robótica na instituição de ensino.

Investimento em inovação - A rede municipal investe na robótica e conta com o lab#InovareAprender, reconhecido por ser ambiente dos makerspace, laboratório voltado para criatividade, tecnologia, ciência e inovação. Em Macaé, as estações de robótica envolvem diretamente uma média de 4 mil estudantes. O programa InovareAprender é voltado para inovação pedagógica e robótica, sendo realizado pela Prefeitura de Macaé, por meio da Secretaria de Educação e Secretaria de Ciência e Tecnologia.

Comentários